Close

30 de setembro de 2017

Mapeamento e monitoramento das pastagens brasileiras

A reunião técnica “Mapeamento e monitoramento das pastagens brasileiras: distribuição geográfica, produtividade, serviços ambientais e potencial de intensificação“, a ser realizado no Centro de Convenções Israel Pinheiro, em Brasília, nos dias 31 de outubro e 1 de novembro, tem por objetivo expandir e fortalecer o grupo de especialistas interessados em dados e informações relacionados às áreas de pastagens e pecuária no Brasil.

Tendo por referência quatro eixos principais, i.e. distribuição geográfica das pastagens, questões relacionadas a produtividade e degradação, serviços ambientais / ecossistêmicos e potencial de intensificação da pecuária, buscamos entender e compartilhar o atual nível de conhecimento, identificar lacunas e demandas, bem como definir, de forma colaborativa, um mapa de prioridades quanto a necessidade de novas pesquisas, produção de dados e acesso à informação. Os resultados esperados incluem um documento-síntese (“white-paper“, a ser submetido posteriormente para publicação),  uma maior sinergia e alinhamento entre academia, governo, terceiro setor e iniciativa privada e uma visão realista, inclusiva e integrada sobre produção pecuária e meio ambiente.

Programação:

 

2 Comments on “Mapeamento e monitoramento das pastagens brasileiras

izaías de macedo barros
6 de outubro de 2017 em 19:44

Qualquer pessoa pode participar do evento Mapeamento e monitoramento das pastagens brasileiras: distribuição geográfica, produtividade, serviços ambientais e potencial de intensificação, que ocorrerá nos dias 31 de outubro e 01 de novembro?

Responder
admin
19 de abril de 2019 em 18:59

Olá Izaías, o curso está aberto tanto ao público interno quanto externo à UnB, desde que atenda aos seguintes requisitos: a) disponibilidade de participação durante os três dias de aulas e seminários; b) possuir graduação completa.
Encoraja-se a participação de alunos(as) de mestrado e doutorado; ex-alunos; assessores de projetos FIDA no Brasil, produtores, gestores governamentais, representantes de cooperativas e associações, ONGs, dentre outros.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d bloggers like this: